Com falta de sondas, PETROBRAS desloca equipamentos no pré-sal

segunda-feira, 26 de maio de 2008 17:36 BRT
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 26 de maio (Reuters) - A falta de sondas no mercado está fazendo a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) adiar testes de produção em campos promissores do pré-sal como Carioca e Bem-te-vi, com os equipamentos sendo deslocados para explorar outras áreas na mesma região, informou o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, nessa segunda-feira.

Ele descartou que até o final deste mês a empresa pudesse dar mais informações sobre Carioca.

"Deixamos de fazer testes (de produção) em Carioca para cumprir o programa da ANP, para não ter que devolver áreas", disse Gabrielli a jornalistas referindo-se ao programa obrigatório imposto a empresas petrolíferas pela agência reguladora do setor.

Pelas regras, as empresas que recebem concessões de blocos precisam cumprir cronogramas específicos para anunciarem resultados de testes exploratórios, sob risco de perderem as concessões.

Gabrielli lançou nesta segunda-feira o plano para contratar 40 navios-sonda e plataformas de perfuração para a exploração da área pré-sal, com recebimento das unidades até 2017.

Ele informou que uma sonda para operar em lâminas d'água de entre 2 e 3 mil metros custa em média de 400 a 600 mil dólares por dia.

A prioridade da contratação das sondas será no mercado interno no longo prazo, mas Gabrielli admitiu que, no curto prazo, a indústria naval brasileira não tem condições de atender a encomenda.

"Vamos fazer uma avaliação de quanto o mercado internacional vai poder entregar e fazer um balanço com as possibilidades dos estaleiros brasileiros. O volume internacional vai nos dizer quanto vamos contratar no Brasil", disse o executivo após participar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva do lançamento de licitação para contratação de 146 navios de apoio para a empresa.   Continuação...