CONSOLIDA-Confiança melhora nos EUA, moradias dão sinal positivo

terça-feira, 26 de agosto de 2008 14:00 BRT
 

Por Burton Frierson

NOVA YORK, 26 de agosto (Reuters) - A confiança do consumidor norte-americano se recuperou mais do que o esperado em agosto com o abrandamento das preocupações sobre inflação, enquanto os mercados financeiros procuravam razões para acreditar que o pior já passou no mercado imobiliário.

As vendas de moradias novas em julho ficaram abaixo do esperado por economistas, mas subiram frente a junho --mês que teve o menor ritmo de vendas em quase 17 anos.

Outro relatório apontou que os preços das moradias nas áreas metropolitanas tiveram queda recorde de 15,9 por cento em junho na comparação com o ano anterior. Ainda assim, a taxa mensal de queda foi menor que em maio, o que sugere que o abalado setor imobiliário pode estar se estabilizando, segundo relatório da S&P/Case Shiller.

O Conference Board afirmou que o índice que mede o humor do consumidor subiu para 56,9 este mês, frente a 51,9 em julho, atingindo o maior nível desde maio. Um recuo nas expectativas inflacionárias deve agradar as autoridades do Federal Reserve que estão preocupadas com o aumento indesejável dos preços.

Os dados não sugerem de forma alguma que a combalida economia norte-americana está se recuperando prontamente, mas alguns analistas afirmaram que mostram sinais de estabilização.

"A confiança ainda está bastante baixa, mas tem um sinal de esperança frente às baixas que tivemos em junho", afirmou Dana Saporta, economista do Dresdner Kleinwort Securities LLC.

Segundo Lynn Franco, diretor do Conference Board, "as leituras de confiança do consumidor sugerem que a economia permanece presa na neutralidade, mas pode mostrar sinais de melhora no início do próximo ano."

O Conference Board informou ainda que o componente de expectativas de inflação caiu para 6,7 por cento --o menor desde a leitura de 6,1 por cento em março-- frente ao dado revisado de junho de 7,5 por cento.