Indicado candidato do PT em Salvador,Pinheiro quer apoio de Lula

segunda-feira, 26 de maio de 2008 20:40 BRT
 

SALVADOR (Reuters) - Depois de conquistar a indicação do Partido dos Trabalhadores (PT) como candidato à Prefeitura de Salvador, o deputado Walter Pinheiro busca o apoio explícito do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Lula já avisou que só subirá no palanque de candidato que unir a base que o apóia, mas o pré-candidato petista destacou, em entrevista coletiva na segunda-feira, que considera natural utilizar a imagem do presidente.

"O partido que tem o direito de usar a imagem do presidente é o partido do presidente Lula, que é o PT", defendeu Pinheiro, ressaltando a intenção de "colar" sua imagem a de Lula.

Atrasado na definição de alianças, Pinheiro se reúne na terça-feira com representantes do PSB, PCdoB e PV, tradicionais aliados. A expectativa é a formação de uma frente de esquerda, tendo como vice a deputada Lídice da Mata (PSB) ou a vereadora Olívia Santana (PCdoB).

O prefeito João Henrique Carneiro (PMDB), candidato à reeleição, já definiu a chapa, com o advogado tributarista Edvaldo Brito (PTB), como vice. O PSDB, do ex-prefeito Antônio Imbassahy, fechou aliança com o PPS, que definiu o economista Miguel Kertzman como vice.

Na tentativa de se estabelecer como candidato preferido pelo presidente da República e do governador da Bahia, Jaques Wagner, Pinheiro vai tentar superar a realidade de que, além do PT, o PMDB, de João Henrique e do ministro Geddel Vieira Lima, e o PRB, do comunicador Raimundo Varela, também fazem parte da base aliada.

No campo estadual, o PSDB apóia Jaques Wagner, que já disse considerar Imbassahy candidato de sua base. No entanto, João Henrique garante em entrevistas que é o preferido de Lula para permanecer no Palácio Thomé de Souza.

SAÍDA DA PREFEITURA

A recente saída do PT da administração do prefeito João Henrique, depois de três anos em importantes secretarias, foi alvo de críticas no PMDB, que considerava natural o apoio petista à campanha de reeleição.

Questionado sobre a autoridade para criticar a atual gestão, Pinheiro respondeu não querer diálogo com "este tipo de gente que quer polarizar a campanha para tentar mudar a imagem de seu candidato".

Para ele, a insatisfação da população com a prefeitura justifica uma mudança de governo. "Nós deixamos a administração por identificar a oportunidade de não só apresentar um projeto alternativo, mas de atender aos apelos de mais de 30 por cento da população, que deseja o PT no governo", afirmou. (Reportagem de Donaldson Gomes)