Banco Central argentino prevê crescimento de 7,2% em 2008

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007 18:14 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O banco central da Argentina prevê crescimento de 7,2 por cento e inflação entre 7 e 11 por cento em 2008, disse o presidente da instituição, Martín Redrado, nesta quarta-feira.

A Argentina deve registrar em 2007 o quinto ano seguido de crescimento superior a 8 por cento, ao passo que a inflação tem se mantido ao redor de 10 por cento desde 2005.

Redrado apresentou o programa monetário do banco central para 2008 ao Congresso, estimando que as exportações cheguem ao recorde de 60 bilhões de dólares, com superávit comercial de mais de 9 bilhões de dólares no final do próximo ano.

"O crescimento trimestral vai continuar alto, mas será um pouco menor do que a média dos últimos anos", disse Redrado em discurso, de acordo com comunicado do banco central.

O governo tem a mesma previsão sobre a inflação, mas o Orçamento de 2008 estima crescimento de apenas 4 por cento. A expansão econômica tem superado com folga as projeções do Orçamento nos últimos anos.

Membros do governo defendem as estimativas conservadoras, dizendo que é melhor subestimar do que superestimar. Mas líderes da oposição dizem que isso é parte de uma estratégia para gastar receitas extras sem a supervisão do Congresso.

Alguns economistas recomendam que o governo tente frear o crescimento econômico para conter as pressões inflacionárias, mas o ministro da Economia, Martín Losteau, disse que a meta é continuar registrando expansão anual de cerca de 8 por cento.

Outro fator que impulsiona a inflação é a alta global dos preços das commodities, que pressiona os custos dos alimentos.

(Reportagem de Lucas Bergman)