26 de Agosto de 2008 / às 20:49 / em 9 anos

PANORAMA2-Ata do Fed sem surpresas permite mercado mais calmo

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 26 de agosto (Reuters) - A terça-feira de agenda econômica recheada terminou com variações tímidas nos mercados brasileiros e em Wall Street.

Nos Estados Unidos, a ausência de surpresas com a ata do Federal Reserve permitiu que o petróleo, com valorização de pouco mais de 1 dólar, roubasse a cena e levasse o índice Dow Jones a fechar em leve alta.

De acordo com a ata, os responsáveis pela política monetária dos EUA continuaram preocupados com a inflação e com o crescimento econômico. Para o mercado, é um sinal de que o Fed ainda deve aguardar mais antes de promover mudanças na taxa básica.

Entre os indicadores econômicos, a confiança do consumidor norte-americano se recuperou mais do que o esperado em agosto, e alguns dados indicaram que, apesar do cenário ainda estar muito deteriorado, há sinais de alívio no setor imobiliário.

As vendas de novas moradias subiram em julho, deixando para trás o menor nível em 17 anos registrado no mês anterior. O preço das moradias, apesar da queda recorde na comparação com o ano anterior, teve uma redução menor em termos mensais.

Foram indicadores europeus, no entanto, que deram impulso extra para o dólar em todo o mundo. Com a retração econômica da Alemanha no segundo trimestre, o dólar chegou a atingir o maior nível em seis meses em relação ao euro EUR=.

No Brasil, a entrada de recursos em uma sessão de pouco volume tirou o fôlego do dólar, que fechou quase estável. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuou levemente, com destaque negativo para o setor financeiro.

Veja como encerraram os principais mercados nesta terça-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,632 real, com variação negativa de 0,06 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 2,69 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa recuou 0,22 por cento, a 54.358 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 3,27 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em baixa de 0,21 por cento, aos 32.625 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam divididos na BM&F. O DI janeiro de 2009 manteve-se em 13,88 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu a 14,68 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 131,94 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,43 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil caía 1 ponto, a 246 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 309 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI subiu 0,23 por cento, a 11.412 pontos. O Nasdaq .IXIC perdeu 0,15 por cento, para 2.361 pontos. O índice S&P 500 .SPX exibiu alta de 0,37 por cento, aos 1.271 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, mostrava estabilidade, com rendimento de 3,78 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

Reportagem adicional de Vanessa Stelzer e Aluísio Alves; Edição de Daniela Machado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below