Bertin compra controle da Vigor e eleva diversificação

segunda-feira, 26 de novembro de 2007 13:23 BRST
 

SÃO PAULO, 26 de novembro (Reuters) - O grupo Bertin, um dos três maiores do setor de carne bovina no Brasil, comprou o controle da Vigor VGOR4.SA, uma das principais empresas em lácteos do país, informaram as companhias em comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira.

O Bertin adquiriu 56 por cento do capital social da Goult Participações Ltda, empresa que, por sua vez, detém 74,5 por cento do capital da Vigor.

Com o negócio, o Bertin estréia no ramo de laticínios, seguindo estratégia semelhante à adotada pela Perdigão PRGA3.SA, que comprou a Batávia e recentemente a Eleva.

"A presente transação permitirá que, em conjunto, os grupos Bertin e Vigor se tornem um dos maiores players do segmento de carnes e lácteos da América Latina", informou o comunicado, que não trouxe detalhes financeiros da operação.

A Vigor divulgou no balanço do 3o trimestre do ano receita bruta no acumulado até setembro de 542 milhões de reais, com lucro líquido no período de 11,5 milhões de reais.

A empresa é dona de marcas como Leco, Danúbio e Faixa Azul, além da Vigor, e produz uma grande variedade de produtos lácteos, como iogurtes, queijos e leites longa vida. Também atua em óleos vegetais com uma unidade de refino, comercializando margarinas e maioneses.

O grupo Bertin é uma holding de capital nacional com 30 unidades de produção em vários Estados brasileiros. Faturou cerca de 4,5 bilhões de reais em 2006 e estimava elevar o número para cerca de 6 bilhões em 2007.

Além da carne bovina, carro chefe da empresa, que exporta cortes para mais de 80 países, o Bertin possui uma fábrica de biodiesel e divisões de higiene e limpeza, produtos pet, construção civil e energia elétrica.

A Bovespa suspendeu os negócios com ações da Vigor e também de sua controlada Leco LECO4.SA no aguardo de mais informações sobre a transferência do controle.

Na sexta-feira, as ações da Vigor fecharam em baixa de 1,7 por cento, a 2,76 reais.

(Texto de Marcelo Teixeira; Edição de Roberto Samora)