Aversão ao risco impulsiona dólar em dia volátil

segunda-feira, 26 de novembro de 2007 16:42 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar teve uma segunda-feira de volatilidade e, em meio à maior aversão ao risco no exterior, subiu 1,11 por cento frente ao real.

A moeda norte-americana fechou a 1,825 real, na maior cotação desde 4 de outubro. Em novembro, a alta acumulada pelo dólar é de 5 por cento.

O câmbio foi pressionado por dois fatores, segundo analistas: a busca de estrangeiros por ativos considerados de menor risco, como já havia ocorrido nos últimos dias, e a incerteza dos investidores quanto a uma maior atuação do governo no mercado.

Após cair 1,16 por cento nos primeiros minutos de negócios, o dólar inverteu o rumo e, ainda pela manhã, subia mais de 1 por cento.

"Os agentes acabam ficando indecisos. O que é mais fácil? Ir junto, acompanhar o movimento", disse Carlos Alberto Postigo, operador da Action Corretora, explicando a amplitude das variações.

Por trás da incerteza com a atuação do governo estão dúvidas sobre o fundo soberano do Brasil, cuja possível criação tem sido comentada por autoridades da área econômica.

Na quinta-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que pretende adquirir no mercado ao menos 10 bilhões de dólares para a formação do fundo.

O governo já intervém no mercado de câmbio por meio do Banco Central, que tem comprado dólares diariamente para reforçar as reservas internacionais.   Continuação...