Amorim diz que Bolívia precisa de "diálogo"

segunda-feira, 26 de novembro de 2007 23:01 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - O chanceler brasileiro, Celso Amorim, pediu à Bolívia que busque uma solução pacífica para os violentos protestos contra a aprovação de uma nova constituição, que causaram a morte de pelo menos três pessoas.

O ministro disse que o Brasil está acompanhando com "muita atenção" a situação no país vizinho, de quem importa gás natural.

"Acho que o problema que pode haver (na Bolívia) é a falta de diálogo", disse Amorim, que está nos Estados Unidos para participar de uma conferência sobre o Oriente Médio, que será realizada na cidade de Annapolis.

"Então o que se pode fazer é contribuir para que haja diálogo", acrescentou o chanceler a jornalistas em Washington.

As manifestações aconteceram na cidade de Sucre, onde as reclamações contra a assembléia constituinte provocaram distúrbios que deixaram mortos e feridos.

As manifestações aconteceram porque a constituição não atendeu aos pedidos dos moradores da cidade para que ela ganhe status de "capital plena" do país, acabando com o domínio atual de La Paz.

(Por Adriana Garcia)