Consumo de energia em maio foi o maior do ano: 32.501 GWh

quinta-feira, 26 de junho de 2008 17:30 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O consumo de energia no Brasil subiu 3 por cento em maio contra igual período do ano passado, atingindo 32.501 gigawatts-hora, o maior volume de energia consumido em um mês este ano, contrariando a tendência sazonal.

No ano, o país acumula alta de 3,1 por cento no consumo e nos últimos 12 meses o incremento foi de 4,8 por cento.

O recorde de consumo em maio foi explicado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) como reflexo de mudanças nos calendários das concessionárias para o faturamento dos seus clientes de baixa tensão, jogando para maio faturas que deveriam ter sido feitas em abril.

O setor residencial foi o que mais cresceu no mês passado, com alta de 4,9 por cento em relação a maio de 2007, seguido do comercial, coma alta de 4,4 por cento. O consumo de energia pela indústria apresentou aumento de 2,4 por cento, enquanto outros segmentos, que incluem o setor rural, tiveram queda de 0,2 por cento.

O consumo de energia residencial da região Centro-Oeste foi o que apresentou maior variação frente ao mesmo mês do ano anterior, de 7,4 por cento, explicado pela EPE também como resultado da mudança de calendário das contas de luz por algumas distribuidoras.

Por outro lado, na região Sul a queda no consumo foi de 1,4 por cento nas residências em maio. O consumo da indústria na região subiu 4,6 por cento.

Tanto a região Nordeste como a Sudeste apresentaram queda de consumo no item "outros", que engloba os produtores rurais, de 1,6 e 1,3, respectivamente.

O setor industrial teve alta em todas as regiões, com destaque positivo para a região Nordeste, de 6,1 por cento, e com menor consumo na região Sudeste, onde está concentrado o parque industrial brasileiro, mas que em maio consumiu apenas mais 0,9 por cento do que há um ano.

"Todos os estados do Sudeste registraram baixo crescimento em maio. Neste caso, ressalta-se o aumento na cogeração de grandes indústrias, demandando menor quantidade de energia elétrica da rede", explicou a EPE.

Já o setor comercial teve seu maior consumo registrado no Sudeste, de 5,4 por cento, e o mais baixo no Sul, de 0,8 por cento. No Nordeste, a alta foi de 5,1 por cento, no Norte de 3,3 por cento e no Centro-Oeste de 4,3 por cento.

(Reportagem de Denise Luna)