Índices sobem, mas mercados da Ásia mantêm cautela

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008 07:55 BRT
 

Por Rafael Nam

HONG KONG (Reuters) - As bolsas de valores da Ásia avançaram nesta terça-feira, na expectativa de que as classificações elevadas de crédito das seguradoras de títulos norte-americanas não sejam alteradas. Temores persistentes de uma recessão nos Estados Unidos e mais baixas contábeis em bancos, porém, limitaram os ganhos do dia.

O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exceto do Japão tinha alta de 0,86 por cento, para 481 pontos, e acumula queda de aproximadamente 10 por cento em 2008.

O índice Nikkei da bolsa de TÓQUIO perdeu 0,65 por cento, para 13.824 pontos.

O dia começou com tom otimista depois que a Standard & Poor's retirou ameaça de rebaixar a classificação da MBIA Inc, citando confiança que a seguradora poderá levantar mais capital, enquanto muitos ainda aguardam um plano de auxílio para a Ambac Financial .

O destino das seguradoras de títulos tem pesado na cabeça dos investidores nas últimas semanas, dado que um rebaixamento poderia desencadear um movimento de vendas de obrigações que elas garantiram, potencialmente induzindo mais baixas contábeis no setor financeiro e piorando a crise de crédito global.

"Certamente esta é uma notícia bem vinda e uma das poucas notícias positivas que vimos nesse front", afirmou Adnan Kucukalic, estrategista do Credit Suisse, em Sydney.

"Mas não creio que vimos o pior nesse setor. Ainda há muitos prejuízos vindos de investimentos em hipotecas de alto risco (subprime) por vir."

Na Coréia do Sul, a bolsa de SEUL fechou estável depois de passar parte do dia em terreno positivo. O índice Hang Seng, da bolsa de HONG KONG, avançou 1,92 por cento.   Continuação...

 
<p>As bolsas de valores da &Aacute;sia tiveram uma segunda-feira de alta, com o &iacute;ndice japon&ecirc;s Nikkei registrando a maior valoriza&ccedil;&atilde;o em seis semanas depois que rumores sobre aux&iacute;lio a uma resseguradora de t&iacute;tulos norte-americana afastaram temores sobre perdas relacionadas ao cr&eacute;dito no setor financeiro. Photo by Kim Kyung-Hoon</p>