Desemprego sobe em fevereiro, mas formalização aumenta

quinta-feira, 27 de março de 2008 11:00 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O desemprego cresceu em fevereiro pela segunda vez seguida, mas a taxa foi a menor já registrada para o mês e houve também aumento do trabalho formal.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta quinta-feira que a taxa de desemprego foi de 8,7 por cento no mês passado, ante 8,0 por cento em janeiro.

Segundo o economista do IBGE, Cimar Pereira, o desemprego nas seis maiores regiões metropolitanas do país deve continuar subindo até abril, começando a ceder apenas ao longo do segundo trimestre.

"A tendência é de que o ponto de inflexão se dê em abril e não há até agora um rebuliço no mercado interno por conta das questões externas", afirmou Pereira, ao destacar que historicamente a taxa costuma subir nos primeiros meses do ano em razão da dispensa de temporários contratados para as festas de fim de ano e do aumento da procura por trabalho.

Apesar disso, o economista do IBGE destacou que o desemprego em 2008 está em um nível mais baixo que em 2007. "A desocupação se encontra em um patamar mais baixo este ano. Tanto que as taxas de janeiro e fevereiro foram as menores para esses meses, em toda a série. O mercado de trabalho em 2008 está favorável."

FORMALIDADE RECORDE

Em fevereiro, a trajetória de formalização do mercado de trabalho foi mantida.

Na comparação com fevereiro de 2007 foram criados 732 mil empregos (alta de 3,6 por cento), enquanto o número de empregados com carteira subiu 8,4 por cento, o equivalente a mais 722 mil trabalhadores formais.

"O processo de formalização do mercado de trabalho continua avançando. Isso é relevante, pois acontece em um mês de dispensa de funcionários", declarou Pereira, frisando que em fevereiro o mercado de trabalho tinha 54,6 por cento de trabalhadores formais, o maior percentual da série histórica.   Continuação...