Custo final do pacote de ajuda nos EUA será menor, diz Bush

sábado, 27 de setembro de 2008 13:01 BRT
 

WASHINGTON, 27 de setembro (Reuters) - O presidente George W. Bush procurou acalmar neste sábado as preocupações sobre o plano de ajuda de 700 bilhões de dólares, dizendo que o custo final do pacote será muito menor, porque o valor dos ativos podres adquiridos pelo governo vai aumentar com o tempo.

Bush disse que estava confiante de que o plano em negociação no Congresso durante o final de semana vai ser aprovado "logo" e que existes pontos de consenso entre os lados em discussão na maioria dos aspectos do pacote.

"Nós precisamos liberar o fluxo de crédito para os consumidores e para as empresas reduzindo o risco apresentado por esses ativos podres", disse Bush em seu discurso semanal no rádio. "Nós devemos garantir que os contribuintes sejam protegidos, que os executivos falidos não se aproveitem dos impostos pagos e que haja um quadro bipartidário para a supervisão desses esforços."

O presidente dos EUA procurou diminuir a ansiedade sobre o alto valor do pacote. "O custo final desse plano será bem menor que 700 bilhões", disse.

"Muitos dos ativos que o governo deve comprar tendem a aumentar de valor com o tempo. Isso significa que o governo poderá recuperar muito, se não tudo, da despesa original", acrescentou.

Bush repetiu suas advertências de que a falência do sistema financeiro pode colocar a economia em perigo e no caminho em direção a uma "profunda e dolorosa recessão".

(Reportagem de Tabassum Zakaria)