John Deere demite no Brasil após cancelamento de vendas

segunda-feira, 27 de outubro de 2008 14:05 BRST
 

SÃO PAULO, 27 de outubro (Reuters) - A subsidiária brasileira da fabricante norte-americana de equipamentos agrícolas Deere & Co (DE.N: Cotações) demitiu 200 funcionários após clientes argentinos cancelarem a compra de colheitadeiras, informou a companhia nesta segunda-feira.

Os trabalhadores estavam empregados na fábrica da John Deere em Horizontina, no Rio Grande do Sul.

Em um comunicado, os gerentes da unidade de Horizontina, Jones Dalmolin e Edinei Scheme, disseram que compradores na Argentina cancelaram ordens de compra de mais de 300 máquinas.

"O cenário econômico global, combinado com uma prolongada estiagem na Argentina que está afetando a produção agrícola no país, está levando nossa fábrica em Horizontina a revisar seus planos de produção", afirmaram no comunicado.

"Estamos sendo forçados a revisar (para baixo) nossa estimativa de crescimento para 2009, prevendo uma expansão mais conservadora".

A Deere agora planeja produzir 20 colheitadeiras por dia, a partir de novembro, nesta fábrica, ante a previsão inicial de 24.

Atualmente, a unidade produz 17 máquinas por dia.

A fábrica, a mais antiga da companhia no Brasil, produz atualmente colheitadeiras e plantadeiras.

A assessoria de imprensa da Deere afirmou que não tem nenhuma indicação oficial do cancelamento de vendas no Brasil. A companhia é a maior fabricante mundial de maquinários agrícolas.   Continuação...