ATUALIZA2-Governo obtém deságio de 20,18% em leilão de linhas

sexta-feira, 27 de junho de 2008 17:28 BRT
 

(Texto atualizado com mais informações)

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 27 de junho (Reuters) - As estatais tiveram uma participação tímida no leilão de linhas de transmissão de energia realizado pelo governo brasileiro nesta sexta-feira, deixando para as empresas privadas nacionais e estrangeiras a maioria dos 12 lotes ofertados e totalmente vendidos.

As empresas terão agora de 15 a 36 meses para iniciar as operações, que demandarão investimentos totais estimados em 2,86 bilhões de reais.

Houve deságio em relação à receita máxima permitida pelo governo em todos os lotes vendidos, registrando uma média de 20,18 por cento. O percentual de deságio, no entanto, foi bem menor que no último leilão de linhas, em novembro do ano passado, no qual a participação agressiva de empresas estatais puxou o deságio para mais de 50 por cento.

"Foi um sucesso absoluto...o deságio foi menor porque partiu de um nível mais baixo de preços", afirmou a jornalistas o ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, logo após o leilão.

O critério para a aquisição no leilão é a menor receita anual que o investidor aceita receber.

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) foi a que mais arrematou. Privatizada há dois anos, a empresa levou cinco dos doze lotes ofertados, pagando o maior e o menor deságio registrados no leilão.   Continuação...