BC vê IPCA acima da meta central e cita demanda forte

quinta-feira, 27 de março de 2008 10:43 BRT
 

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO (Reuters) - A inflação brasileira deve superar ligeiramente o centro da meta neste ano, previu o Banco Central no Relatório de Inflação do primeiro trimestre, que ressaltou preocupações com o descompasso entre demanda e oferta.

Para analistas, o documento divulgado nesta quinta-feira reitera a visão de que o BC está inclinado a elevar a taxa básica de juros, mas ainda não há consenso sobre quando o aperto monetário começaria.

O prognóstico para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2008 passou para 4,6 por cento, ante estimativa anterior de 4,3 por cento.

O número supera o centro da meta de inflação perseguido pelo governo, de 4,5 por cento. A meta tem tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

O BC notou que a aceleração da inflação no começo deste ano deveu-se sobretudo a pressões sazonais, como as vindas de educação e alimentos in natura, mas ressaltou preocupações sobre os movimentos futuros dos preços.

"As elevações nos índices de difusão, nas diferentes medidas de núcleos e nos indicadores dos preços por atacado de produtos industriais sugerem movimento mais disseminado, ao menos em parte decorrente de pressões de demanda, nas altas de preços", apontou o relatório.

"O persistente descompasso entre o ritmo de expansão da demanda doméstica e da oferta, ratificado pelas Contas Nacionais, e que pode estar se intensificando, apresenta risco relevante para o panorama inflacionário."

Para Jankiel Santos, economista-chefe do Bes Investimento, o mais preocupante é o tom adotado pelo BC sobre a atividade. "Se não vai (desacelerar) e se ele coloca como condição a ser observada o descasamento entre oferta e demanda, isso eleva a possibilidade de ter que elevar o juro", disse.   Continuação...