ESPECIAL-Consolidação no setor de cana desafia tradições

terça-feira, 27 de maio de 2008 11:17 BRT
 

Por Inaê Riveras

SERTÃOZINHO, 27 de maio (Reuters) - No início da atual temporada de cana-de-açúcar, funcionários da usina São Francisco, no interior de São Paulo, e seus familiares se reuniram para pedir a Deus proteção e uma boa colheita.

Trata-se da tradicional missa de abertura de safra, que este ano foi realizada dentro do prédio principal da usina.

Em meio ao cheiro doce da cana-de-açúcar, cerca de 150 pessoas rezaram cercadas por imensas máquinas que nos próximos meses irão receber um volume inédito do produto.

Entre as oferendas, uma garrafa com álcool, um caminhãozinho de madeira e um facão de cortar cana.

"É uma longa tradição. Nossa empresa tem origem familiar, somos católicos assim como muitos de nossos funcionários", afirmou o diretor executivo da usina, Jairo Menesis Balbo.

"Agradecemos Deus pela produção e pedimos a Ele ajuda para mais um ano."

As missas são realizadas há décadas em boa parte das 380 usinas de açúcar e álcool do país -- a maioria das quais tem nome de santos e são administradas ainda por descendentes de seus fundadores.

Porém, alguns acreditam que os velhos costumes podem desaparecer juntamente com modelos antigos de administração no momento em que fusões e aquisições mudam a estrutura do setor.   Continuação...