Petrobras e Vale puxam queda de 0,89% da Bovespa

terça-feira, 27 de maio de 2008 17:48 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Uma reversão na tendência internacional recente do dólar em baixa e commodities em alta respingou na Bolsa de Valores de São Paulo, que fechou em baixa em meio a realização de lucros com ações de Petrobras e Vale.

O Ibovespa, referencial mais importante do desempenho do mercado acionário brasileiro, apontou desvalorização de 0,89 por cento, aos 70.992 pontos. O giro financeiro foi de 6,67 bilhões de reais.

A notícia de que as vendas de casas novas nos Estados Unidos cresceram inesperadamente em abril empurrou para cima o dólar. Como desdobramento, as cotações de commodities, que vinham escalando para seguidos recordes de alta para compensar a desvalorização na moeda norte-americana, caíram forte.

Em Nova York, o preço do barril do petróleo caiu 2,7 por cento, para 128,73 dólares, depois de ter chegado a superar os 135 dólares na semana passada.

A peça seguinte dessa engrenagem foi a realização de lucros com ações de empresas ligadas a commodities, justamente as que lideraram os ganhos da Bovespa em maio. "Foi um convite para embolsar ganhos", disse Álvaro Bandeira, diretor da corretora Ágora.

Assim, as ações preferenciais da Petrobras tomaram um tombo de 3,24 por cento, para 49,90 reais. As preferenciais da Vale engrossaram o movimento, caindo 2 por cento, para 54,69 reais.

Sobrou também para as siderúrgicas, sob liderança das ações ordinárias da Usiminas, com recuo de 2,74 por cento, a 87,05, no dia seguinte ao anúncio de que a Vale pretende se desfazer de sua participação de 5,89 por cento do capital ordinário na fabricante de aço.

A queda do índice só não foi maior por causa da recuperação das ações de bancos, também acompanhando o bom movimento do setor financeiro em Wall Street, onde o índice Dow Jones teve alta de 0,55 por cento.   Continuação...