Dólar fecha em queda com fluxo, em dia de poucos negócios

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007 16:48 BRST
 

Por Fabio Gehrke

SÃO PAULO (Reuters) - A piora do cenário externo, após divulgação de dados econômicos norte-americanos e da notícia do assassinato da líder da oposição paquistanesa Benazir Bhutto, não foi suficiente para impulsionar o dólar no mercado brasileiro. A entrada de recursos em uma sessão de volume fraco levou a divida para baixo.

O dólar encerrou a quinta-feira em queda de 0,62 por cento, a 1,761 real, ampliando a desvalorização da véspera quando registrou baixa de 1,23 por cento.

A sessão foi marcada pela baixa liquidez, com grande parte dos investidores não atuando devido aos feriados de fim de ano. Com volume fraco, um pequeno fluxo de entrada é capaz de influenciar mais fortemente as cotações.

"Hoje o mercado (cambial) não teve nada, esteve bem parado mesmo", disse Mario Battistel, gerente da Fair Corretora. "Em função do pouco volume, o pessoal que quer fazer dinheiro vendendo dólar, acaba deturpando um pouco o mercado."

No exterior, além dos acontecimentos no Paquistão, as bolsas norte-americanas se ressentiram pelo fato de as encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos terem ficado abaixo do esperado. No final da tarde, os principais operavam em queda de mais de 1 por cento. No embalo, a Bovespa também operava em território negativo.

O Banco Central não realizou leilão de compra de dólar, como tem feito diariamente desde de outubro. Nos últimos minutos da sessão, com a ausência do BC definida, o dólar caiu um pouco mais.

"Quem estava aguardando a entrada do BC para vender seus dólares teve que entrar no final e vender no mercado mesmo", disse, Jorge Knauer, gerente de câmbio da Banco Prosper no Rio de Janeiro.

Para ele, a ausência da autoridade monetária "foi o único fato relativamente anormal". "O Banco Central tem condições de monitar o mercado de perto, e por causa do baixo volume optou por não atuar."