BOLSA EUROPA-Bancos pressionam mercados após resultado da HBOS

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008 09:06 BRT
 

Por Amanda Cooper

LONDRES, 27 de fevereiro (Reuters) - As bolsas de valores da Europa operavam em queda na manhã desta quarta-feira depois que resultados da financiadora de imóveis HBOS HBOS.L reacenderam novas preocupações sobre fundos para bancos. O movimento é contido por rali no preço de commodities, que impulsiona ações de petrolíferas e mineradoras.

Às 9h, o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que engloba as principais ações do continente, perdia 0,7 por cento, a 1.351 pontos. Ações na Ásia e Wall Street operaram em alta depois que a IBM anunciou um programa de recompra de ações e investidores receberam garantias sobre o cenário das principais seguradoras de títulos dos Estados Unidos.

A HBOS, maior financeira britânica do setor de hipotecas, pontuava o tom negativo do dia, despencando mais de 9 por cento depois de anunciar um crescimento de 3 por cento no lucro anual, abaixo das expectativas de analistas.

A instituição informou que custos maiores de financiamento atingiram suas margens no ano passado e que os mercados financeiro e imobiliário devem continuar em situação difícil.

Um rali nos preços das commodities junto a uma queda recorde do dólar frente ao euro EUR= ajudavam as ações das petrolíferas BP (BP.L: Cotações) e Total (TOTF.PA: Cotações), bem como das mineradoras Rio Tinto (RIO.L: Cotações) e Anglo American (AAL.L: Cotações).

"Temos observado o rali de um mercado combalido desde janeiro e este rali deve continuar, mas estamos sendo pressionados por fatores como o dólar mais fraco e petróleo batendo altas recordes, o que está limitando os avanços deste momento", afirmou Achim Matzke, analista do Commerzbank, em Frankfurt.

Os bancos figuravam entre os piores desempenhos do índice europeu na sessão, com o Royal Bank of Scotland (RBS.L: Cotações), Barclays (BARC.L: Cotações) e BNP Paribas (BNPP.PA: Cotações) perdendo cerca de 2,5 por cento cada.

O setor de construção também era pressionado depois que o francês Bouygues (BOUY.PA: Cotações), grupo de telecomunicações e construção, anunciou um aumento de 32 por cento no lucro líquido recorrente anual. Mas o resultado ficou abaixo das expectativas do mercado e as ações do grupo recuavam mais de seis por cento.   Continuação...