CÂMBIO-Dólar mantém ritmo e opera em baixa pelo 8o dia seguido

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008 10:29 BRT
 

SÃO PAULO, 27 de fevereiro (Reuters) - O dólar continuava em queda nesta quarta-feira, afetado por operações no mercado futuro e pelo ingresso de recursos no país.

Às 10h28, a moeda norte-americana BRBY caía 0,53 por cento, para 1,675 real. No oitavo dia seguido de baixa, o dólar tem sido negociado no menor nível desde maio de 1999.

A maior pressão para a queda da taxa de câmbio vem das chamadas operações de arbitragem, em que os investidores buscam lucrar com a diferença entre os juros praticados no Brasil e no exterior.

Atualmente, o juro básico brasileiro é de 11,25 por cento ao ano, bastante acima dos 3 por cento dos Estados Unidos.

"Essas operações com taxas de juros são fortes", disse Renato Schoemberger, operador da Alpes Corretora, citando também o investimento direto dos estrangeiros como fator para a queda do dólar. "O mercado pode ir lá para 1,60 (real). Esse é o ponto que pode buscar."

O mercado também já tem assistido à influência da definição da última Ptax (taxa média do dólar) do mês, a ser concluída na sexta-feira. Como muitos agentes estão vendidos em dólar no mercado futuro, interessa a eles que a taxa de câmbio recue para ampliar os ganhos com esse tipo de operação.

Os investidores estrangeiros, por exemplo, carregam uma posição vendida de cerca de 6 bilhões de dólares na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

"O dólar é para baixo mesmo. O que pode fazer ele subir é alguma notícia ruim lá fora, que dá uma inversão de fluxo", pontuou Schoemberger.

Nesta quarta-feira, os futuros de Wall Street já indicavam abertura negativa do mercado em Nova York. Mais tarde, às 12h (horário de Brasília), os investidores prestam atenção ao discurso do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, por pistas sobre o rumo dos juros norte-americanos.

No Brasil, o Banco Central confirmou o leilão de aproximadamente 1,7 bilhão de dólares em swap cambial reverso. A operação, porém, é apenas para a rolagem de um lote com vencimento no início de março.

(Por Silvio Cascione; Edição de Vanessa Stelzer)