Brasil, Austrália defendem retorno urgente de negociações da OMC

quarta-feira, 27 de agosto de 2008 08:07 BRT
 

CANBERRA, Austrália (Reuters) - O Brasil e a Austrália defenderam uma retomada urgente das negociações sobre o comércio mundial antes da eleição presidencial dos Estados Unidos, e disseram que ainda acreditam que as conversas podem ser destravadas e o acordo alcançado.

As negociações da Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC) fracassaram no final do mês passado, depois de os Estados Unidos e a Índia não concordarem sobre uma proposta de acordo de ajuda a fazendeiros pobres com a importação em larga escala de alimentos.

A representante comercial dos EUA, Susan Schwab, propôs naquela época uma reunião das principais autoridades comerciais em setembro, para analisar se ainda era possivel alcançar um acordo global para liberar o comércio mundial.

"Eu ainda tenho esperança que nós ainda podemos fazer um esforço, mas isso tem que ser muito rápido", disse o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, depois de conversas com seu colega australiano Stephen Smith.

Um comunicado conjunto de Amorim e o ministro de Comércio da Austrália, Simon Crean, diz que os dois países vão se esforçar para retomar as negociações antes das eleições presidenciais nos Estados Unidos, em novembro.

"Com base em experiências passadas, há duas possibilidades. Ou nós fazemos isso agora, em setembro, ou teremos de esperar por um longo tempo", disse Amorim a jornalistas.

(Reportagem de James Grubel)