Al Qaeda encabeça lista de suspeitos de assassinato de Bhutto

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007 22:11 BRST
 

Por Randall Mikkelsen

WASHINGTON (Reuters) - A Al Qaeda é a principal suspeita do assassinato da ex-primeira-ministra e líder da oposição paquistanesa Benazir Bhutto, o que desestabiliza o país e prejudica o presidente paquistanês, Pervez Musharraf, disseram o governo dos Estados Unidos e analistas.

O grupo, que reconstruiu sua estrutura de comando na fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão, também foi responsabilizado por um atentado anterior contra a vida de Bhutto, denunciada pela facção como instrumento da política dos Estados Unidos no Paquistão.

Autoridades do governo do presidente norte-americano, George W. Bush, disseram que ainda é muito cedo para identificar um suspeito claro do assassinato desta quinta-feira.

Mas uma autoridade norte-americana disse: "Há uma série de grupos extremistas dentro do Paquistão que poderiam promover o ataque...A Al Qaeda tem de ser um dos grupos que estão no topo da lista."

O Taliban, aliado da Al Qaeda que ameaçou Bhutto publicamente, é outro suspeito em potencial, acrescentou a autoridade, que falou sob a condição de não ter seu nome revelado.

Um analista do setor privado disse que simpatizantes da Al Qaeda dentro dos serviços de segurança paquistaneses também podem ter desempenhado um papel no atentado, mas ressalvou que é improvável que Musharraf esteja pessoalmente envolvido.

Para esse analista, a morte de Bhutto prejudica Musharraf, visto pelos Estados Unidos como um aliado essencial contra o terrorismo, pois elimina a perspectiva de um acordo de compartilhamento do poder entre as duas pessoas que podem promover a estabilização do país.

Bhutto foi assassinada em um ataque suicida após um comício eleitoral na cidade de Rawalpindi, antes das eleições de 8 de janeiro, que devolverão o Paquistão para o regime civil.

(Reportagem adicional de Paul Eckert)