February 27, 2008 / 2:23 PM / 9 years ago

Brasil tem superávit primário recorde para janeiro

3 Min, DE LEITURA

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - A economia feita pelo setor público para o pagamento de juros foi recorde para o mês em janeiro, alavancada pelo crescimento das receitas, revelaram dados divulgados pelo Banco Central nesta quarta-feira.

No mês, a carga de juros também caiu, como reflexo da redução das taxas, e o país registrou o primeiro superávit nominal desde junho de 2007 --e o primeiro registrado em janeiro desde o início da série do BC, em 1991.

O resultado nominal mede a diferença entre todas as receitas e despesas do governo, incluindo juros.

O superávit primário foi de 18,662 bilhões de reais em janeiro, ante resultado positivo de 13,457 bilhões de reais em igual período do ano passado.

Em 12 meses encerrados em janeiro, o superávit primário ficou em patamar equivalente a 4,15 por cento do Produto Interno Bruto (PIB). A meta do governo para o indicador em 2008 é de 3,8 por cento do PIB.

O déficit nominal acumulado em 12 meses ficou em 2,02 por cento em janeiro, menor patamar desde o início da série.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, afirmou que os resultados fiscais de janeiro foram excepcionais e não tendem a se repetir ao longo do ano.

É que, segundo ele, o superávit primário do governo central também foi influenciado, além da elevação das receitas, pela não aprovação do Orçamento de 2008 pelo Congresso --o que limita as despesas que o governo pode realizar.

"Esse não deve ser o padrão", afirmou Lopes a jornalistas, acrescentando que, com a aprovação do Orçamento, os gastos do governo federal tendem a se acelerar.

O resultado primário foi decorrente de um superávit de 16,705 bilhões de reais do governo central --recorde para todos os meses--, de um superávit de 3,507 bilhões de reais de Estados e municípios e de um déficit de 1,549 bilhão de reais das estatais.

Em janeiro apenas, o resultado nominal do setor público consolidado foi superavitário em 5,531 bilhões de reais, ante um déficit de 470 milhões de reais em igual período de 2007.

MENOR DÍVIDA DESDE 1998

O superávit nominal contribuiu para uma redução da dívida líquida total do setor público para 42,1 por cento do PIB no mês passado, menor nível desde dezembro de 1998, quando era de 38,9 por cento do PIB. Em dezembro do ano passado, a dívida estava em 42,8 por cento.

O BC estima que a dívida líquida, um dos indicadores brasileiros acompanhados com maior atenção pelos investidores externos, subirá a 42,4 por cento do PIB em fevereiro, mas chegará ao final do ano em 41,5 por cento do PIB.

Edição de Alexandre Caverni

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below