Libertação de reféns das Farc deve ocorrer entre sexta e domingo

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007 22:39 BRST
 

Por Luis Jaime Acosta e Fabián Andrés Cambero

BOGOTÁ/CARACAS, 27 de dezembro (Reuters) - A Colômbia e a Venezuela concordaram na quinta-feira em iniciar imediatamente a operação humanitária para receber os três reféns sequestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. A libertação deve ser concretizada entre a sexta-feira e o domingo, com a cooperação da Cruz Vermelha, informaram autoridades.

A operação, que será realizada por uma caravana aérea que incluirá aviões e helicópteros, foi autorizada na quarta-feira pelo governo do presidente colombiano, Alvaro Uribe, e contará com delegados de Brasil, Bolívia, Cuba, Equador e França.

O assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, será o delegado brasileiro.

Os governos colombiano e venezuelano fixaram as 21h (em Brasília) como a "hora zero" para o início da operação humanitária, disse à Reuters o secretário de imprensa da Presidência da Colômbia, César Mauricio Velásquez, que se recusou a comentar quanto tempo durará a operação.

"O governo da Venezuela e o governo da Colômbia concordaram com o início da hora zero para a operação humanitária no resgate dos sequestrados pelas Farc", anunciou Velásquez.

"Nesse sentido, o governo autorizou a entrada de três aviões e dois helicópteros venezuelanos, assim como de outro avião que transportará o ex-presidente argentino Néstor Kirchner."

A Cruz Vermelha Internacional confirmou sua participação na operação, ao mesmo tempo em que os familiares das políticas Consuelo González e Clara Rojas, e de seu filho Emmanuel, nascido em cativeiro, viajaram para Caracas para recebê-los após a libertação.