Espiral de preços pode forçar aperto monetário, diz BCE

quarta-feira, 27 de agosto de 2008 11:49 BRT
 

Por Hilary Burke e Kevin Gray

BUENOS AIRES, 27 de agosto (Reuters) - Um novo aumento do juro pode ser necessário caso a insistente inflação alta provoque uma espiral de preços na zona do euro, afirmou nesta quarta-feira o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Lucas Papademos.

A inflação na região dos 15 países que usam o euro como moeda continua elevada, apesar do enfraquecimento da economia e só deve cair gradualmente durante 2009, disse Papademos em um seminário em Buenos Aires, na Argentina.

"A principal e mais séria preocupação é que o período prolongado de inflação em alta... tenha o potencial de afetar adversamente a determinação do comportamento dos preços e salários e das expectativas inflacionárias de curto e médio prazos, levando à indução de um espiral de preços e salários", disse.

"Se isso se materializar, afetará perversamente o crescimento e o poder de compra das famílias. Isso vai requerer um aperto monetário de forte grau, para que a estabilidade dos preços seja alcançada de uma maneira sustentada", acrescentou.

Papademos fez coro a outros diretores do BCE, como Axel Weber e Lorenzo Bini Smaghi, diminuindo as chances de um corte da taxa básica de juro européia, atualmente em 4,25 por cento, apesar das expectativas de mercado apontarem para um corte no próximo ano.

A inflação na zona do euro está em 4,0 por cento, a maior alta em 16 anos, influenciada pela volatilidade dos preços do petróleo e dos alimentos, e está pressionando o poder aquisitivo dos europeus e os lucros das empresas.

Para tentar resolver o problema, o BCE decidiu, em julho, elevar o juro em 0,25 ponto percentual, para 4,25 por cento.

"A inflação tende a permanecer significantemente acima do nível de estabilidade dos preços por um considerável período de tempo antes de cair, somente de forma gradual, durante 2009", disse Papademos.