Citigroup venderá participação de US$7,5 bi para Abu Dhabi

terça-feira, 27 de novembro de 2007 08:39 BRST
 

Por Dan Wilchins

NOVA YORK (Reuters) - O Citigroup está vendendo até 4,9 por cento de seu capital por 7,5 bilhões de dólares ao braço de investimento do governo de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, dando ao maior banco dos Estados Unidos capital novo enquanto enfrenta a crise nos mercados hipotecários de alto risco e a renúncia de seu presidente-executivo.

A injeção de capital vai servir de apoio ao balanço do Citi, que foi atingido por baixas contábeis e perdas de 6,8 bilhões de dólares no terceiro trimestre e enfrenta a chance de ser atingido por mais 11 bilhões de dólares em perdas no quarto trimestre. Muitos investidores temiam que o Citi tivesse que reduzir seus dividendos para fortalecer sua base de capital.

A venda também pode ser um sinal de que a queda livre nas ações de instituições financeiras está perto do fim, dizem analistas.

"O Citi é grande, é amplamente acompanhado, e quando as pessoas vêem confiança nele, isso deve significar algo", disse Bo Browstein, um analista que cobre ações do setor financeiro na Cambiar Investors, nos EUA.

O dólar subiu contra o iene com o anúncio do Citigroup e as ações do setor bancário do Japão também tiveram alta.

Com o investimento, Abu Dhabi será o maior investidor do Citi. O investimento reflete o crescente poderio financeiro dos países produtores de petróleo, que têm se beneficiado com um aumento de cinco vezes nos preços do petróleo nos últimos cinco anos.

A Dubai International Capital, uma empresa de investimentos de risco controlada pelo regente de Dubai, informou na segunda-feira que fez um "substancial investimento" na Sony . A empresa havia informado em julho que estava pronta para injetar até 1,5 bilhão de dólares no Japão.

Uma outra entidade de Abu Dhabi comprou este mês uma participação na fabricante de microprocessadores norte-americana AMD .   Continuação...