CNI: uso da capacidade cai no 1o tri, mas demanda deve subir

segunda-feira, 28 de abril de 2008 18:04 BRT
 

BRASÍLIA, 28 de abril (Reuters) - As indústrias brasileiras reduziram o uso da capacidade instalada no primeiro trimestre do ano na comparação com os últimos três meses de 2007, mas os empresários prevêem uma elevação da demanda nos próximos seis meses.

Os dados constam de sondagem da Confederação Nacional da Indústria (CNI) feita com 1.490 empresas e divulgada nesta segunda-feira.

De acordo com a pesquisa, o uso da capacidade instalada caiu a 75 por cento no primeiro trimestre, frente a 80 por cento no período anterior.

A redução confirma tendência já apontada nos últimos meses pelos indicadores industriais da CNI, que têm base e sistemática de cálculo diferente da sondagem.

"Historicamente, a utilização da capacidade recua no primeiro trimestre do ano. Note-se, contudo, que a queda de 5 pontos percentuais neste ano foi superior à registrada no primeiro trimestre de 2007 na comparação com o quarto de 2006 (de 3 pontos)", destacou a CNI em nota.

No primeiro trimestre de 2007, a utilização da capacidade estava em 73 por cento.

O índice que aponta o crescimento da demanda doméstica no próximo semestre ficou em 62,1 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam crescimento.

Todos os portes de empresas dos 27 setores consultados previram elevação da demanda, com destaque para o de Refino de petróleo (70,5 pontos) e Outros equipamentos de transporte (69,6 pontos).

A expectativa em relação às exportações, por outro lado, ficou abaixo dos 50 pontos pela quinta vez consecutiva, em 49,1 pontos, indicando expectativa de redução nas vendas externas.

Entre os principais problemas citados pelos industriais, o primeiro foi a carga tributária, seguido por competição acirrada no mercado e alto custo de matéria-prima.

(Por Isabel Versiani; Edição de Daniela Machado)