Lucro do Credit Agricole cai 94% no 2o trimestre

quinta-feira, 28 de agosto de 2008 08:53 BRT
 

Por Sudip Kar-Gupta

PARIS (Reuters) - O Credit Agricole, maior banco francês de varejo, divulgou uma queda de 94 por cento no lucro do segundo trimestre nesta quinta-feira, com o resultado atingido por um prejuízo esperado em sua divisão de banco de investimento Calyon.

O banco é o último dos três grandes bancos franceses a apresentar seu balanço do segundo trimestre, durante o qual a crise de crédito continuou a pesar no setor financeiro.

O lucro líquido caiu para 76 milhões de euros (111,8 milhões de dólares) ante 1,29 bilhão de euros um ano antes. O lucro operacional também caiu 94 por cento ante o ano anterior para 102 milhões de euros.

Um pesquisa da Reuters com 18 analistas apontava, em média, para um lucro líquido de 199 milhões de euros. Os prognósticos variaram de um prejuízo de 597 milhões de euros a um lucro de 970 milhões de euros.

O desempenho do banco foi atingido por uma baixa contábil de aproximadamente 1,1 bilhão de euros relacionados à crise de crédito, que segundo o banco causou um impacto negativo de 693 milhões de euros nos lucros da Calyon.

A Calyon teve um prejuízo líquido de 855 milhões de euros no segundo trimestre.

No início do mês, o Société Générale divulgou uma queda de 63 por cento no lucro líquido, enquanto o maior banco francês listado em bolsa, o BNP Paribas, apresentou uma redução de 34 por cento no lucro.

A Calyon tem gerado prejuízo por muitos trimestres, fazendo o Credit Agricole tomar medidas para reduzir seus negócios, cortar seus custos e retirar Marc Litzler de sua presidência executiva.

O Credit Agricole completou uma emissão de 5,9 bilhões de euros em ações em julho para reforçar suas finanças e ainda se desfez de 5 bilhões de euros em ativos.

Às 8h48 (horário de Brasília) as ações do grupo subiam 6,66 por cento, para 14,09 euros.