Salinas chega ao Brasil com banco popular e apoio de Lula

sexta-feira, 28 de março de 2008 17:29 BRT
 

Por Mair Pena Neto

RECIFE (Reuters) - O empresário mexicano Ricardo Salinas acaba de colocar o pé no Brasil, com o Banco Azteca de crédito e poupança popular, e já fala em multiplicar, literalmente, o tamanho de seu negócio em cinco anos.

O Banco Azteca, que funciona exatamente há cinco anos no México, tem 1.500 agências, associadas em sua maioria às lojas Elektra de venda de eltrodomésticos. No Brasil, Salinas inaugurou na quinta-feira a sua primeira loja, no bairro popular da Água Fria, na capital pernambucana, e já vislumbra o mesmo desempenho obtido em seu país natal.

"Queremos chegar a 1.500 lojas em cinco anos. Vamos gerar muitos empregos. No México, são 40 mil empregados", disse Salinas.

Classificar as agências como lojas é bem apropriado em se tratando do Banco Azteca. Em Recife, o banco é praticamente um guichê ao fundo das lojas Elektra. Salinas nem precisou fazer a defesa das modestas instalações, assumida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, antes mesmo da inauguração.

"Eu já passei na frente (do prédio), é um prédio simples, mas eu penso que é uma outra inovação porque aqui no Brasil os prédios de bancos são muito poderosos, ostentam muito, quando, na verdade, a única coisa que deveria ser bem segura no banco é o cofre", disse Lula em discurso no Fórum Empresarial Brasil-México, poucas horas antes da inauguração da loja/banco.

Salinas chegou ao Brasil fazendo barulho. Conseguiu atrair o presidente da República para um negócio que começa com o investimento modesto de 40 milhões de dólares e levou o cantor e compositor Alceu Valença para se apresentar de graça em um palco armado em frente à prefeitura de Olinda, cidade onde pretende instalar a sede do Banco Azteca.

"Esse é só o primeiro passo, vamos terminar o ano com 40 a 50 agências", afirmou Salinas, que vai concentrar a atuação do Banco Azteca no Nordeste. "Primeiro em Pernambuco e depois nos Estados contíguos", acrescentou.

A proposta do Banco Azteca é operar com a população de baixa renda, o que explica a localização de suas agências em instalações populares.   Continuação...