January 28, 2008 / 7:40 PM / 9 years ago

BRADESCO diz que governo autorizou VALE a estudar Xstrata

4 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO, 28 de janeiro (Reuters) - O Conselho de Administração da Vale (VALE5.SA), inclusive os representantes do governo, deu sinal verde para que a mineradora avalie a aquisição da rival anglo-suíça Xstrata, afirmou nesta segunda-feira o presidente do Conselho do Bradesco (BBDC4.SA), Lázaro Brandão.

"Os representantes do governo no Conselho da Vale credenciaram (a Vale) para estudar", afirmou ele.

O braço de participações do grupo Bradesco, a Bradespar (BRAP4.SA), integra a Valepar, que detém mais de 50 por cento do capital votante da Vale.

O fundo de pensão Previ, dos funcionários do Banco do Brasil BBSA3.SA, e a BNDESPar, unidade de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), também fazem parte da Valepar, assim como a japonesa Mitsui.

"Atualmente, a Vale só estuda a aquisição, para ver se é factível ou não. A decisão dependerá das condições gerais", afirmou Brandão a jornalistas, após coletiva de imprensa para comentar os resultados do Bradesco em 2007.

"É só um estudo pra ver realmente se fecha nas condições, se é factível, se tem geração de caixa, esses detalhes todos. Depois, na decisão, (os representantes do) governo têm poder (pra resolver)", acrescentou.

O governo possui uma 'golden share' (ação especial) da Vale desde a época da privatização, em 2007, correspondente a 12 ações da empresa, mas que lhe dá poderes de veto em algumas situações, inclusive em relação ao aumento de capital estrangeiro na companhia.

Na semana passada, a Vale confirmou que está negociando a compra da Xstrata, negócio que pode ultrapassar os 100 bilhões de dólares se contabilizada a dívida da companhia. A compra envolveria um empréstimo junto a bancos internacionais e emissão de ações da Vale para a entrada dos acionistas da Xstrata.

Uma fonte da Vale afirmou à Reuters, nesta segunda-feira, que o empréstimo de 50 bilhões de dólares já está garantido por um grupo de bancos liderados pelo HSBC e Santander, mas que a parte da emissão de ações enfrenta resistência do governo brasileiro.

"O problema junto ao governo (brasileiro) é a emissão de ações, o governo acha a Vale estratégica, mas se a Vale não cresce ela desaparece no meio da consolidação do setor que está acontecendo no mundo", disse a fonte.

Na avaliação da analista Cistiane Viana, da corretora Àgora, mais do que estratégica a compra "é uma necessidade e muito positiva para a Vale", afirmou.

Brandão evitou comentar se a Bradespar apoiaria ou não uma oferta formal de compra da Xstrata pela Vale, afirmando que "depende de muitos detalhes".

Ele não soube informar se a proposta de fazer uma oferta formal de compra da Xstrata será levada rapidamente para apreciação do Conselho da Vale.

As ações da Vale operaram em queda durante o dia, mas inverteram a tendência próximo ao fim do pregão, para alta de 0,64 por cento, enquanto o Ibovespa se valorizava 1,8 por cento.

Reportagem de Cesar Bianconi e Denise Luna; Edição de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below