28 de Maio de 2008 / às 16:12 / 9 anos atrás

Superávit primário diminui em abril por estatais

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O superávit primário do setor público diminuiu em abril na comparação com o mesmo período do ano passado, como reflexo de uma piora nos resultados das estatais.

Ainda assim, a cifra foi superior à apropriação de juros no período e o país registrou superávit nominal pelo segundo mês consecutivo, de 3,842 bilhões de reais.

A diferença entre as receitas e os gastos do governo, incluindo pagamento com juros, também ficou positiva no primeiro quadrimestre do ano pela primeira vez na história, com superávit de 6,885 bilhões de reais.

Em abril, o superávit primário foi de 18,7 bilhões de reais, abaixo dos 23,5 bilhões de reais obtidos em igual período do ano passado e da projeção de 22,5 bilhões de reais de analistas consultados pela Reuters.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, afirmou que a queda reflete o resultado das estatais e ponderou que “é um resultado realmente muito bom, que possibilitou um superávit nominal no mês”.

Em abril, as estatais tiveram déficit de 608 milhões de reais, frente a um superávit de 4,727 bilhões de reais um ano atrás. Segundo Lopes, o desempenho reflete uma “coincidência de investimentos” por parte das empresas.

“O resultado das estatais tem mostrado uma performance pior ao longo do ano. Você percebe essa tendência de deterioração, mas compensado fortemente pela boa arrecadação, contribuindo para o resultado do governo central”, comentou Alexandre Lintz, economista do BNP Paribas.

O resultado do governo central foi superavitário em 16,861 bilhões de reais em abril --valor recorde para o mês e que reflete a elevação contínua das receitas. No mesmo período, os governos municipais e estaduais tiveram superávit de 2,459 bilhões de reais.

DÍVIDA CAI POUCO

Apesar do superávit primário expressivo, a dívida pública líquida recuou apenas ligeiramente em abril --para 41,0 por cento do Produto Interno Bruto, frente a 41,1 por cento em março.

É que, na contramão da economia feita pelo governo, a valorização do real frente ao dólar contribuiu para uma elevação do endividamento.

“A apreciação cambial ocorrida em abril e a variação de paridade da cesta de moedas que compõem a dívida externa líquida responderam por acréscimos de 9,2 bilhões de reais e de 6,8 bilhões de reais, respectivamente, no estoque da dívida”, afirmou o BC em nota.

Em 12 meses encerrados em abril, o superávit primário ficou em patamar equivalente a 4,23 por cento do PIB, ante 4,46 por cento do PIB em 12 meses até março.

A meta para o resultado em 2008 é de 3,8 por cento do PIB e alguns analistas vêm defendendo que esse objetivo seja elevado pelo governo de modo a auxiliar o BC no combate à inflação.

Com reportagem adicional de Ana Nicolaci da Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below