Governador baiano é estrela em convenções de rivais PT e PSDB

sábado, 28 de junho de 2008 16:18 BRT
 

Por José de Jesus Barreto

SALVADOR (Reuters) - O governador da Bahia, o petista Jaques Wagner, foi a grande estrela das convenções de PSDB e PT, partidos adversários na disputa pela prefeitura da capital Salvador, mas que integram a base de apoio do governo do Estado.

O clima de competição entre os partidos pela preferência e o apoio do governador, e os discursos de Wagner numa e noutra solenidade marcaram as convenções que oficializaram hoje os nomes do ex-prefeito Antonio Imbassahy, pelo PSDB, e do deputado Walter Pinheiro, pelo PT, como concorrentes à prefeitura da capital baiana.

Até na decoração dos ambientes no Centro de Convenções, local da convenção petista, e no salão do Hotel Fiesta, sede do evento tucano, sentia-se a disputa em torno do governador. As duas legendas, adversários no cenário nacional, escolheram as cores da bandeira do Estado: vermelho, azul e branco.

Wagner compareceu primeiro ao Fiesta, onde foi recebido por cerca de 2 mil pessoas em clima de vitória e, ao lado de Imbassahy e do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), disse que ali estava num gesto de reciprocidade pelo apoio recebido na sua eleição e também de honradez, "construindo o futuro".

Os tucanos aplaudiram o governador petista com força quando ele disse: "A vitória de Imbassahy não nos constrange, vai nos deixar alegres".

Quase duas horas depois, já no Centro de Convenções, Wagner foi recebido por mais de 5 mil militantes petistas que cantavam o jingle do candidato: "Lula é nosso presidente, Wagner é o governador, Pinheiro é nosso companheiro, prefeito de Salvador".

Então, num pronunciamento mais inflamado, Wagner disse que dos três candidatos de sua base --aí inclui-se também o prefeito João Henrique, que pleiteia a reeleição pelo PMDB--, por óbvios motivos se identifica mais com Pinheiro. "O PT foi o partido que ajudei a construir e do qual fui o primeiro presidente", justificou.

Em seu discurso, Pinheiro cobrou a militância do governador, fundamental para que possa sair do incômodo ultimo lugar nas pesquisas de intenção de voto. "O partido do presidente Lula e do nosso governador é o PT", repetiu.

Num tom menos emocional, o discurso dos tucanos mostrou-se focado na aceitação e na baixa rejeição do ex-prefeito Imbassahy entre o eleitorado. Ele é o segundo colocado nas pesquisas com cerca de 23 por cento das intenções de voto, dois pontos percentuais atrás do candidato do DEM, o deputado federal Antônio Carlos Magalhães Neto.

"É o candidato mais preparado, mais capacitado para gerir a cidade", sintetizou o Jutahy Magalhães, também membro da bancada baiana na Câmara.