Feema autoriza início da expansão de R$1,5 bi da Reduc

segunda-feira, 28 de julho de 2008 18:04 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras, no Rio de Janeiro, recebeu sinal verde para iniciar a expansão de 1,5 bilhão de reais que vai dobrar a sua capacidade de processar líquido de gás natural.

A Licença de Instalação foi concedida nesta segunda-feira pela Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente do Rio de Janeiro (Feema), informou a Petrobras em um comunicado.

O líquido de gás natural, um produto nobre que vem associado ao gás e de onde são extraídos derivados leves como a gasolina, subirá dos atuais 5,4 mil metros cúbicos diários para 10,8 mil metros cúbicos por dia.

Outras unidades da refinaria também entrarão em obras para aumentar a capacidade de processar o pesado petróleo nacional extraído na bacia de Campos, e uma nova caldeira para produzir vapor será instalada para acompanhar o crescimento da unidade, informou o gerente de empreendimentos da Reduc, Marcelo Gliosci.

"O gás, à medida que vai sendo processado, gera um líquido que tem muito valor, é muito desperdício queimar esse líquido", explicou Gliosci à Reuters.

Ele informou que o principal projeto é a expansão do processamento do líquido de gás, mas também haverá ampliação da unidade de craqueamento da Reduc de 7,5 mil para 9 mil metros cúbicos.

As obras estão previstas para serem concluídas em 2012 e devem gerar seis mil empregos no período de construção. A expansão do processamento de líquido de gás natural, no entanto, estará pronta em 2009.

"Isso faz parte do Plangás, um plano da Petrobras de tornar o país auto-suficiente em gás natural e que vai até 2010", disse Gliosci.

(Reportagem de Denise Luna; Edição de Camila Moreira)