CÂMBIO-Dólar se acomoda após aumento da Selic e opera estável

segunda-feira, 28 de julho de 2008 10:52 BRT
 

SÃO PAULO, 28 de julho (Reuters) - O dólar operava estável nesta segunda-feira, refletindo a acomodação do mercado após a queda da semana passada em reação à elevação do juro no país.

Às 10h48, a moeda norte-americana BRBY era cotada a 1,574 real.

Depois que o Banco Central elevou o juro em 0,75 ponto percentual, na quarta-feira, o dólar encerrou a semana com o menor valor desde janeiro de 1999, a 1,572 real.

A mudança tornou mais atrativo o investimento estrangeiro no país. Mas, após a reação inicial que ajudou a derrubar o dólar, os investidores internacionais já diminuíram na sexta-feira o ritmo do ajuste nas posições no mercado local.

De acordo com a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os estrangeiros aumentaram em 200 milhões de dólares a posição vendida em derivativos cambiais na sexta-feira --correspondente a uma aposta na queda do dólar. Um dia antes, o aumento havia sido de 1,2 bilhão de dólares.

O tom negativo no mercado internacional colaborava para a estabilização do dólar. Nos Estados Unidos, as bolsas abriram em queda com a preocupação sobre o setor financeiro.

Mas a tendência do dólar ainda é de queda, avalia Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora. "As expectativas sobre novos ingressos financeiros motivados pelo atraente diferencial de juros interno e externo devem compensar as pressões de alta advindas de eventual piora externa."

Ela acrescentou que o final de julho pode trazer instabilidade para o mercado ao disparar a disputa pela formação da última Ptax do mês. A Ptax é a taxa de referência usada para a liquidação de contratos futuros e outros derivativos em vencimento.

O Banco Central realiza entre 12h e 13h um leilão de rolagem de swap cambial reverso, com volume estimado de 2,01 bilhões de dólares. Essa operação foi lançada pelo BC em 2005 para se contrapor à queda do dólar, mas parte do mercado critica o custo desse instrumento.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Alberto Alerigi Jr.)