ATUALIZA-Governo aceita negociar prazo da MP de compra de bancos

terça-feira, 28 de outubro de 2008 20:11 BRST
 

(Texto atualizado com mais informações)

BRASÍLIA, 28 de outubro (Reuters) - O governo aceita negociar um prazo de validade para a medida provisória (MP) que autoriza o Banco do Brasil BBAS3.SA e à Caixa Econômica Federal a comprar instituições financeiras, afirmou na terça-feira o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS).

Segundo o parlamentar, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse em reunião realizada com deputados que o Executivo está disposto a conversar sobre o tema.

"O ministro colocou a disposição do governo de negociar", declarou Fontana a jornalistas, ressaltando que o prazo poderia ser estendido por outra medida provisória se necessário. "É evidente que não podemos criar um prazo ultra-exíguo que traria a sensação de instabilidade para a própria lei."

A criação de um prazo foi sugerida pela oposição. Para o líder do DEM na Câmara, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), além do prazo, o Congresso deve colocar, por meio de emendas, regras e critérios mais claros para a aquisição de bancos e construtoras.

"O texto, como foi encaminhado, não tem chance de ser aprovado", alertou.

Mantega também teve encontro no Senado e a oposição manifestou o mesmo objetivo de fixar prazos para a medida provisória ou fazer com que o Tesouro ajude diretamente os bancos em dificuldade por conta da crise.

"Do contrário, o Congresso estaria dando um cheque em branco ao governo para estatizar o setor", disse a jornalistas o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), depois de participar da reunião com Mantega, no gabinete da presidência do Senado.

Segundo Agripino, o prazo deveria ser de seis meses a um ano. O senador argumentou, no entanto, que é preferível o Tesouro Nacional assumir a responsabilidade de socorrer diretamente instituições financeiras em perigo.   Continuação...