"Lago de terremoto" obriga à nova operação de retirada na China

quarta-feira, 28 de maio de 2008 12:00 BRT
 

Por Tyra Dempster

BEICHUAN, China (Reuters) - A China retirou de suas casas outras 150 mil pessoas que moram nas proximidades de um grande lago formado depois do devastador terremoto deste mês -- teme-se que o lago arrebente e que provoque uma grande inundação, afirmaram na quarta-feira meios de comunicação oficiais.

No mesmo dia, as Forças Armadas do Japão prometeram enviar barracas e cobertores para a China depois de o governo chinês ter pedido ajuda, disse a agência de notícias japonesa Kyodo.

O lago Tangjiashan nasceu quando deslizamentos de terra provocados pelo terremoto de 12 de maio bloquearam o curso do rio Jianjiang, no condado de Beichuan (Província de Sichuan), nas cercanias do epicentro do pior abalo sísmico ocorrido na China em décadas.

Oficialmente, o terremoto de 7,9 graus na escala Richter já matou 68 mil pessoas, mas essa cifra deve aumentar ainda mais já que há quase 20 mil vítimas consideradas desaparecidas.

Na terça-feira, tremores de terra derrubaram 420 mil casas, muitas delas anteriormente comprometidas.

O pedido da China ao Japão, que o governo japonês afirmou estar avaliando, faria com que os militares japoneses ingressassem em território chinês pela primeira vez desde o final da Segunda Guerra Mundial e aponta para o grande desafio com que os chineses se deparam.

As relações sino-japonesas, tradicionalmente difíceis devido à brutal ocupação japonesa de partes da China entre 1931 e 1945, tem melhorado nos últimos meses e equipes de resgate e médicos japoneses chegaram à Província de Sichuan pouco depois do terremoto de 12 de maio.

O presidente chinês, Hu Jintao, afirmou a um grupo de políticos de Taiwan em visita à China que os esforços de ajuda deparavam-se com muitos desafios.   Continuação...

 
<p>Vista a&eacute;rea de pr&eacute;dios submersos no lago formado ap&oacute;s os terremotos que atingiram Beichuan, na China. O pa&iacute;s retirou outras 150 mil pessoas das proximidades do lago por temer uma grande inunda&ccedil;&atilde;o, afirmaram na quarta-feira meios de comunica&ccedil;&atilde;o oficiais. Photo by China Daily</p>