Argentinos votam para presidente, primeira-dama é a favorita

domingo, 28 de outubro de 2007 10:32 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - Um novo presidente será eleito do domingo na Argentina, e prognósticos indicam que a população renovará seu apoio ao atual governo e levará a primeira-dama, Cristina Fernández de Kirchner, à Casa Rosada.

Às 8h locais (9h, pelo horário de Brasília) abriram-se os locais de votação, onde cerca de 27 milhões de eleitores registrados decidirão se a senadora se transformará na primeira mulher da história do país a ser eleita presidente.

Cristina e seu marido Néstor Kirchner se encontrarão em Rio Gallegos, capital da Província de Santa Cruz, na Patagônia, cidade em que iniciaram sua carreira política, onde ambos votarão antes de retornar a Buenos Aires para esperar o resultado do pleito.

A primeira-dama aparece como favorita, aproveitando-se dos altos índices de popularidade de seu marido, que comandou a Argentina durante os quatro anos de notável recuperação econômica que se seguiram ao desastre financeiro de 2002.

"Voto em Cristina Kirchner para aprofundar as mudanças que começaram em 2003 e que serviram claramente à maioria do povo, e para que passemos a uma verdadeira etapa de dignidade", disse Luciano Alvarez, assistente social.

Espera-se que a centro-esquerdista Elisa Carrió, que aparece em segundo lugar nas pesquisas de opinião, vote pela manhã no centro de Buenos Aires.

As mais recentes pesquisas de opinião indicam que Kirchner conseguirá entre 41,7 por cento e 49,4 por cento dos votos, mais de 20 pontos acima dos votos da adversária Carrió.

A legislação Argentina prevê que o candidato que conseguir 45 por cento dos votos é declarado vencedor sem necessidade de um segundo turno, ou se conquistar entre 40 e 45 por cento dos votos com uma diferença maior de 10 pontos percentuais com o segundo colocado.