October 28, 2007 / 2:50 PM / 10 years ago

Turquia diz que lançará missão contra curdos, EUA pedem diálogo

5 Min, DE LEITURA

Por Thomas Grove

CIZRE, Turquia, 28 de outubro (Reuters) - A Turquia informou no domingo que uma solução militar ainda está entre as opções para lidar com separatistas curdos abrigados no norte do Iraque, enquanto Washington pediu que o país use o diálogo para evitar uma incursão que poderia desestabilizar a região.

As negociações entre a Turquia e o Iraque para evitar a ação militar turca no norte iraquiano entraram em colapso na noite de sexta-feira, com Ancara considerando as propostas de Bagdá como insuficientes.

A Turquia reuniu 100 mil soldados, com o apoio de jatos de combate, helicópteros armados e tanques na fronteira, para uma possível ofensiva contra os cerca de 3.000 rebeldes que usam o Iraque como base para ataques contra a Turquia.

"Podemos usar ou continuar a usar meios diplomáticos, ou recorrer a meios militares. Todas essas opções estão na mesa, por assim dizer", disse o ministro das Relações Exteriores, Ali Babacan, em comentários no canal de televisão iraniano Press TV.

Além das iniciativas diplomáticas, a Turquia usou uma retórica de linha-dura, vista como uma tentativa de pressionar os Estados Unidos e o Iraque a iniciarem uma ação. O primeiro-ministro, Tayyip Erdogan, disse no sábado que uma operação militar poderá ser realizada a qualquer momento.

Ancara exigiu que o Iraque entregue todos os membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) baseados em seu território. O PKK é considerado como responsável por mais de 30 mil mortes desde o início de sua campanha separatista, em 1984.

Mas o governo central iraquiano tem pouco controle sobre a região semi-autônoma do norte do Iraque, administrada pelo governo Regional do Curdistão, cujo líder, Masoud Barzani, já prometeu que não entregará ninguém à Turquia.

"Não vou entregar ninguém para nenhum Estado regional, não importa o custo. Entretanto, não permitirei que membros do PKK usem a região de Curdistão como base ou para ameaçar a segurança da Turquia", disse Barzani em entrevista à rede de televisão Al Jazeera, no domingo. "Vou expulsá-los da região, mas não entregá-los."

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse ao governo iraquiano que apoiava o combate ao PKK, mas afirmou que quer uma solução pacífica para a crise. O Irã também tem uma minoria curda e enfrentou ataques rebeldes pela fronteira, aos quais respondeu com ataques dentro do Iraque.

Visita Dos Eua

Os Estados Unidos temem que uma incursão turca na área possa desestabilizar o norte do Iraque, uma região relativamente calma, e espalhar a violência por toda a área. Depois do fracasso das negociações de Ancara, nas quais tomaram parte, os EUA pediram que o diálogo não seja interrompido.

"Queremos encorajar o diálogo entre turcos e iraquianos", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Rob McInturff. "Queremos encorajar os dois lados a virem à mesa e a ficarem."

Os vínculos entre turcos e norte-americanos se deterioraram drasticamente em semanas recentes, mas Erdogan deverá visitar o presidente dos EUA, George W. Bush, em 5 de novembro.

Altos diplomatas turcos dizem que Erdogan deu a Washington e Bagdá um tempo limitado para que mostrem iniciativas contra o PKK ou resultados concretos. A reunião em Washington será a última chance, disseram eles à Reuters.

O chefe das Forças Armadas também disse que os militares estão esperando o retorno de Erdogan de Washington, embora o primeiro-ministro tenha minimizado a importância desses comentários, dizendo que uma operação poderia ser lançada a qualquer momento.

As Forças Armadas realizaram recentemente 24 operações limitadas, mas não houve incursões por terra contra o PTC no norte do Iraque, disse o vice-primeiro-ministro, Cemil Cicek, na sexta-feira. Helicópteros e jatos F-16 atacaram posições rebeldes dentro do Iraque em dias recentes.

Analistas questionam a viabilidade de um ataque militar no norte do Iraque, uma vez que ataques no passado não conseguiram desbaratar o movimento na região ou na Turquia.

Neste domingo, soldados turcos mataram 20 militantes do PKK em confrontos ocorridos no leste da Turquia, informaram fontes militares. Não houve informação sobre baixas do exército turco.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below