EUA revisam crescimento do 2o tri para 3,3%

quinta-feira, 28 de agosto de 2008 09:54 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - A economia dos Estados Unidos cresceu no segundo trimestre a uma taxa mais forte do que o calculado anteriormente, de 3,3 por cento em termos anuais, com os gastos do consumidor e as exportações mostrando mais vigor do que o esperado, segundo relatório do governo divulgado nesta quinta-feira.

Inicialmente, a taxa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) no período de abril a junho tinha sido informada como 1,9 por cento.

Analistas ouvidos pela Reuters esperavam que a expansão do PIB fosse revisada para 2,7 por cento.

O PIB cresceu apenas 0,9 por cento no primeiro trimestre, após contração de 0,2 por cento nos três últimos meses de 2007. O quarto trimestre do ano passado foi o mais fraco desde o período entre julho e setembro de 2001, quando a economia estava em recessão.

Os gastos do consumidor, que alimentam dois terços da economia dos EUA, cresceram a uma taxa revisada de 1,7 por cento, em vez de 1,5 por cento.

As exportações aumentaram 13,2 por cento em taxa anualizada, e não os 9,2 por cento calculados inicialmente.

Muitos analistas acreditam que as exportações e os gastos do consumidor, que têm ajudado a economia a escapar de uma recessão, vão perder força no segundo semestre com a redução dos recursos oferecidos pelo governo no pacote de estímulo econômico e com a desaceleração global e a alta do dólar, que devem diminuir a demanda estrangeira.

Como evidência de que a crise imobiliária continua a pesar sobre a economia, a construção residencial caiu 15,7 por cento em termos anuais, pouco mais que os 15,6 por cento de baixa registrados anteriormente.

Os estoques diminuíram em 49,4 bilhões de dólares em termos anuais no trimestre, e não 62,2 bilhões de dólares como informado inicialmente, num possível sinal de que as empresas estão menos pessimistas do que se imaginava.