Dólar sobe com saídas de recursos e acumula alta de 3,1% n mês

sexta-feira, 28 de março de 2008 16:37 BRT
 

Por Fabio Gehrke

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta sexta-feira seguindo os movimentos das principais bolsas internacionais, em um dia marcado mais por um fluxo de saídas de recursos do país.

A moeda norte-americana subiu 0,40 por cento, a 1,744 dólares. Nesta semana, a divisa avançou 0,63 por cento, acumulando valorização de mais de 3,1 por cento no mês de março.

"Embora os indicadores externos tenham vindo em linha (com o esperado pelos analistas), o mercado sofre com uma certa cautela", disse Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio do Banco Paulista.

Nesta sexta-feira, o governo norte-americano informou que a renda pessoal do país cresceu mais do que o esperado e que a inflação desacelerou no último mês.

Apesar das boas notícias, os principais índices acionários norte-americanos não conseguiram se sustentar e operavam em território negativo.

No fechamento do mercado cambial, o risco-país subia 7 pontos e a Bolsa de São Paulo apresentava números vermelhos.

"A aversão ao risco continua forte, vamos continuar vendo esse mercado volátil e bem atento aos mercados lá fora", afirmou Postigo, lembrando que com os impactos no ambiente internacional muitos investidores se desfazem de suas posições domésticas para cobrir eventuais perdas no exterior.

Apesar dos fortes movimentos nas bolsas, o mercado cambial operou com relativa estabilidade. "Teve alguma saída de manhã... e tem um sentimento no mercado que boa parte do cenário ruim já foi precificado nessa cotação do dólar", disse um operador de câmbio que preferiu não ser identificado.

O operador ainda lembrou que com o fim do mês alguns agentes disputam a formação da Ptax, taxa usada na liquidação de contratos futuros na BM&F, mas ressaltou que o movimento está "devagar" com investidores esperando por uma definição na crise externa.

No meio da sessão o Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista e definiu a taxa de corte a 1,7430 real.