Saldo externo cai em 2007, mas investimento é recorde

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008 12:26 BRST
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil registrou em 2007 queda no superávit em transações correntes pelo segundo ano consecutivo, em termos nominais, mas o investimento estrangeiro direto foi recorde.

Segundo dados divulgados pelo Banco Central nesta segunda-feira, o superávit em conta corrente foi de 3,555 bilhões de dólares, ou 0,27 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), frente a 13,621 bilhões de dólares no ano anterior.

Os investimentos estrangeiros diretos alcançaram a cifra recorde de 34,616 bilhões de dólares no ano passado, ante 18,782 bilhões de dólares em 2006.

Para janeiro, o BC prevê déficit de 2,8 bilhões de dólares em transações correntes e investimento estrangeiro direto de 4,5 bilhões de dólares, o que também seria um recorde para o mês.

Somente em dezembro, o país teve déficit em transações correntes de 699 milhões de dólares --resultado melhor que o esperado.

"Forte fluxo decorrente de juros recebidos do exterior explica a surpresa positiva", afirmou em relatório o estrategista-chefe do BNP Paribas no Brasil, Alexandre Lintz.

Os investimentos estrangeiros diretos no país foram de 886 milhões de dólares no último mês de 2007, bem abaixo dos 2,487 bilhões de dólares vistos em igual período de 2006.

"O relatório de dezembro confirma que o Brasil está vivendo em um ambiente negativo para conta corrente", acrescentou Lintz.

O temor de uma recessão nos Estados Unidos tornou os investidores internacionais mais ariscos. Em 2008, até esta segunda-feira, o Brasil registrou saída líquida de 1,8 bilhão de dólares em recursos aplicados em ações e renda fixa, segundo o BC.

Para o ano inteiro, no entanto, o Banco Central projeta superávit de 26 bilhões de dólares nesses ativos.