Carrefour não planeja venda de unidades no Brasil ou China

segunda-feira, 28 de julho de 2008 08:15 BRT
 

PARIS, 28 de julho (Reuters) - O Carrefour (CARR.PA: Cotações), segunda maior rede de varejo do mundo, não tem planos de vender unidades na China ou no Brasil, afirmou o presidente-executivo da companhia nesta segunda-feira.

Em reunião de acionistas convocada para aprovação de mudança na estrutura da administração em que José Luis Duran não vai mais acumular os cargos de presidente de conselho e presidente-executivo, o executivo espanhol afirmou que os rumores sobre a venda de hipermercados chineses para a britânica Tesco (TSCO.L: Cotações) ou de lojas no Brasil para o Wal-Mart (WMT.N: Cotações) são infundados.

O Carrefour enfrentou um boicote na China depois de incidentes durante a passagem da tocha olímpica por Paris.

Duran afirmou que ambos os países são importantes para o crescimento operacional do grupo.

A rede de varejo também está sendo pressionada pelo grande acionista Blue Capital a maximizar valor aos acionistas.

"Não acontecerá em qualquer cenário e não a qualquer preço e somente se a criação de valor for clara para todos os acionistas", disse Duran.

A Blue Capital tinha em 18 de julho 13,55 por cento do capital do Carrefour e 12,66 por cento dos direitos a voto.

"Não existe em nenhum caso uma aquisição sendo feita pela Blue Capital. A Blue Capital não tem o poder para derrubar o conselho do Carrefour e tomar controle do grupo", disse o presidente do conselho de administração da rede de varejo, Amaury de Seze, em resposta a uma pergunta de um acionista.

(Por Noelle Mennella)