Baosteel e Chinalco devem compor consórcio de aviação chinês

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008 13:32 BRST
 

PEQUIM, 28 de janeiro (Reuters) - A chinesa Baosteel (600019.SS: Cotações) e a Aluminum Corp, controladora da Chalco 2600.HK, devem integrar um consórcio com apoio estatal para o desenvolvimento e a construção de jatos comerciais, informou o o Shanghai Securities Journal na segunda-feira.

Além da Chinalco e da Baoshan Iron and Steel, maior siderúrgica do país, a parceria incluirá duas grandes companhias de aviação chinesas, a AVIC I e a AVIC II, e pode ser iniciada antes do Congresso Nacional do Povo, que ocorre em março, segundo o jornal, que citou uma fonte não-identificada da AVIC I.

O governo central injetaria dinheiro da Comissão de Supervisão e Administração de Ativos no projeto para se tornar o acionista majoritário, afirmou a reportagem.

As empresas AVIC I e AVIC II possuiríam juntas a segunda maior participação na nova companhia, projetada para reduzir a dependência do país em relação a Boeing (BA.N: Cotações) e Airbus EAD.DE.

A reportagem disse que os governos locais investiriam 5 bilhões de iuanes (693 milhões de dólares) no projeto, mas não disse qual seria a relação entre o valor e a participação acionária.

A AVIC I, ligada à Xi'an Aircraft International 000768.SZ, desenvolve o jato regional ARJ21. A Hafei Aviation Industry Co 600038.SS, ligada à AVIC II, fabrica o jato regional ERJ-145 em parceria com a brasileira Embraer ERJ.NEMBR3.SA.

A China divulgou, no final do ano passado, seu primeiro jato regional de 90 lugares desenvolvido domesticamente, o ARJ21-700. Os testes com a aeronave devem ocorrer nos próximos meses.

O objetivo do país a longo prazo é produzir jatos de passageiros maiores, com mais de 150 assentos, ou aviões para o embarque de cargas superiores a 100 toneladas, de forma a competir no mercado mundial de jatos comerciais.

(1 dólar = 7,21 iuanes)

(Por Kirby Chien)