Papa classifica morte de Bhutto como "brutal ataque terrorista"

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007 13:23 BRST
 

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Bento 16 pediu nesta sexta-feira por calma no Paquistão após o assassinato da líder da oposição Benazir Bhutto, um ato que classificou de "brutal ataque terrorista".

Em um telegrama de condolências, o líder espiritual dos 1,1 bilhão de católicos do mundo expressou "sentimentos de profunda simpatia e proximidade espiritual aos membros da família (de Bhutto) e toda a nação do Paquistão".

"Ele reza para que mais violência seja evitada e que todo esforço seja feito para construir um clima de respeito e confiança, tão necessário para a manutenção da boa ordem em uma sociedade e para a operação efetiva das instituições políticas do país", disse a mensagem, assinada em nome do papa pelo cardeal Tarcisio Bertone.

Bhutto, ex-primeira-ministra e líder de um grande partido da oposição, foi enterrada nesta sexta-feira após ter sido assassinada em um atentado suicida na quinta-feira após comício para as eleições nacionais de 8 de janeiro.

(Reportagem de Robin Pomeroy)