Corte de tarifa da Ryanair pode gerar 1o prejuízo desde 1989

segunda-feira, 28 de julho de 2008 14:50 BRT
 

Por Andras Gergely

DUBLIN, Irlanda, 28 de julho (Reuters) - A companhia aérea irlandesa Ryanair (RYA.I: Cotações) alertou nesta segunda-feira que pode ter seu primeiro prejuízo trimestral desde 1989 por conta de um corte nas tarifas em resposta ao alto preço do combustível e ameaça de recessão.

A maior transportadora aérea européia de baixo custo diz que espera ganhar fatia de mercado reduzindo o preço das passagens.

As ações da Ryanair (RYA.L: Cotações) perderam mais de 25 por cento de seu valor depois que a empresa apresentou uma queda de 85 por cento no lucro do primeiro trimestre na segunda-feira.

De acordo com números divulgados pela empresa, ela teve um lucro líquido de 21 milhões de euros (33 milhões de dólares) nos três meses encerrados em junho, bem abaixo da previsão de 48,8 milhões de euros da corretora Davy. A Receita subiu 12 por cento, para 777 milhões de euros, contra a expectativa de 865,4 milhões de euros de analistas.

"A perspectiva para o restante do ano fiscal é completamente dependente das tarifas e dos preços dos combustíveis se manterem baixos", afirmou o presidente-executivo da empresa, Michael O'Leary.

A empresa afirmou que usará o desaquecimento econômico para reduzir as tarifas e ganhar mercado dos rivais, que não desfrutam de um caixa de 2,2 bilhões de euros.

O vice-presidente-executivo da Ryanair, Michael Cawley, disse à Reuters que é altamente improvável que a empresa tenha um lucro no ano, a menos que ocorra um queda "brusca" no preço do petróleo no quarto trimestre.