Brasil tem déficit externo recorde no semestre

segunda-feira, 28 de julho de 2008 13:44 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - As transações correntes do Brasil superaram o estimado por analistas em junho e acumularam recorde histórico no semestre, mostraram números divulgados nesta segunda-feira pela autoridade monetária.

O déficit no mês passado foi de 2,596 bilhões de dólares, ante superávit de 539 milhões de dólares no mesmo período do ano passado, afetado pelo crescimento das remessas de lucros e dividendos e das importações.

O resultado ficou bem acima do déficit de 1,2 bilhão de dólares previsto pelo Banco Central há um mês e também superou as projeções de analistas consultados pela Reuters, que esperavam um déficit de 1,1 bilhão de dólares, de acordo com a mediana das estimativas de 13 analistas.

"Houve uma aceleração de remessas de lucros e dividendos nos últimos dias do mês", afirmou a jornalistas o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, ao justificar o resultado.

No primeiro semestre, as transações correntes acumularam déficit de 17,4 bilhões de dólares --o maior para este período em toda série do governo, iniciada em 1947--, frente a um superávit de 2,413 bilhões de dólares no mesmo período de 2007.

O resultado foi superior aos investimentos estrangeiros diretos acumulados no período, de 16,702 bilhões de dólares.

Ainda assim, Lopes argumentou que as contas externas brasileiras são "perfeitamente financiáveis" e que os déficits ainda são inferiores aos registrados atualmente pela maioria dos países com economias comparáveis.

O saldo negativo brasileiro, segundo ele, tem refletido principalmente uma elevação das remessas de lucros e dividendos em meio a um cenário de câmbio valorizado e de crescimento da rentabilidade das empresas.   Continuação...