Philips e Sony decidem produzir notebooks no Brasil

quarta-feira, 28 de novembro de 2007 17:22 BRST
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - Aproveitando um momento de fortes vendas de notebooks no Brasil, duas das maiores empresas de tecnologia do mundo, Philips e Sony, anunciaram nesta quarta-feira planos para a produção de computadores portáteis no país.

A holandesa Philips, que até agora não fabricava computadores no mundo, segundo a sua filial brasileira, anunciou que vai começar a vender notebooks importados com sua marca no país a partir de dezembro, e que no final do primeiro trimestre de 2008 passará a produzir as máquinas no país.

Enquanto isso, a Sony do Brasil começou a fabricar notebooks da sofisticada linha Vaio sob contrato de terceirização com a Foxconn, em Jundiaí, interior de São Paulo, após um período em que distribuía os aparelhos apenas importados.

"Desde que lançamos os primeiros modelos da linha, os resultados são excelentes. Obtivemos um crescimento de mais de 200 por cento em relação ao que esperávamos vender num primeiro momento", disse em comunicado o gerente de marketing e vendas da linha Vaio no Brasil, Francisco Simon.

Segundo a empresa de pesquisa de mercado IDC, as vendas de computadores portáteis no país no quarto trimestre devem saltar 150 por cento na comparação com o mesmo período do ano passado, para 500 mil unidades, fechando o ano em cerca de 1,4 milhão de máquinas vendidas. Esse volume corresponde a um salto de 140 por cento sobre 2006, que por sua vez registrou volume 120 por cento maior sobre 2005.

"Mercado que cresceu mais de 100 por cento nos últimos dois anos não é coisa de amador (...) Acho difícil acreditar que uma Sony e uma Philips fariam investimentos para fabricar num país como o nosso sem ter um respaldo de movimento do mercado de longo prazo", disse o analista sênior de PCs da IDC no Brasil Reinaldo Sakis.

"Esses movimentos todos dos grandes fabricantes certamente não são sem estudar o mercado brasileiro", acrescentou, citando como fatores positivos para a indústria de PCs no Brasil incentivos governamentais, demanda elevada e baixa penetração de computadores entre a população.

No mês passado, a Intel anunciou decisão de fabricar no Brasil placas-mãe de computadores em parceria com a brasileira Digitron. Enquanto isso, a Dell --outra gigante norte-americana de tecnologia-- inaugurou este ano fábrica de computadores em Hortolândia, interior de São Paulo.

O presidente da Intel no Brasil, Oscar Clarke, afirmou na época do anúncio da parceria com a Digitron que o país "deve estar entre os três maiores do mundo até 2010" em consumo de produtos de tecnologia da informação.