JURO-Gasolina, inflação projetada e dólar puxam taxas para cima

segunda-feira, 28 de abril de 2008 16:10 BRT
 

SÃO PAULO, 28 de abril (Reuters) - A discussão sobre um possível aumento da gasolina, a piora das expectativas de inflação do mercado e a alta do dólar elevaram nesta segunda-feira as projeções de juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2010, que teve o maior volume <0#2DIJ:>, subiu de 13,67 por cento ao ano na sexta-feira para 13,83 por cento. O DI janeiro de 2009 avançou de 12,71 para 12,79 por cento.

"Piorou o dólar, o que acaba piorando o juro também", disse Carlos Cintra, gerente de renda fixa do banco Prosper.

A alta de 1,3 por cento do dólar frente ao real, na contramão da tranquilidade vista nos mercados internacionais, ocorreu após o Banco Central divulgar que março teve déficit de 4,4 bilhões de dólares nas transações correntes, pior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1947.

Além disso, a pesquisa semanal do BC com os agentes de mercado mostrou que os prognósticos para a inflação e para a taxa Selic continuaram a subir. O mercado espera agora que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fique em 4,79 por cento neste ano.

O volume de negócios, no entanto, foi relativamente baixo. "Esta semana tem dados importantes lá fora, durante o feriado (de 1o de Maio), e a gente não vai poder fazer nada aqui", explicou Cintra.

Na quinta-feira, um dia após a decisão sobre o juro básico norte-americano, por exemplo, será divulgado um importante dado sobre a inflação ao consumidor nos Estados Unidos.

No mercado também tem crescido a expectativa de que a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) eleve os preços dos combustíveis, diante dos sucessivos recordes do petróleo no mercado internacional.

No mercado aberto, o BC recolheu 25,697 bilhões de reais dos bancos por um dia, a 11,62 por cento ao ano.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Daniela Machado)