Portugal Telecom não planeja vender sua parte na Vivo

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008 11:26 BRT
 

LISBOA (Reuters) - A Portugal Telecom (PT) não tem planos de vender sua parte na operadora brasileira de telefonia móvel Vivo, afirmou o presidente-executivo da Portugal Telecom, Henrique Granadeiro, descrevendo-a como um "ativo muito atraente".

"A Portugal Telecom está satisfeita com a posição que tem na Vivo e com seu desempenho, o que significa que não há motivo para pensar em vender nada", disse Granadeiro à Reuters numa entrevista por telefone nesta quinta-feira.

A espanhola Telefónica e a Portugal Telecom controlam 63 por cento da Vivo através de uma joint venture dividida igualmente. A Telefónica ofereceu 3 bilhões de euros (4,53 bilhões de dólares) a Portugal Telecom por sua parte na Vivo no ano passado, e não faz segredo que deseja adquirir a parte de sua parceira portuguesa.

Granadeiro afirmou que o mercado brasileiro possui grande potencial e crescimento e que sua empresa enfrenta forte competição no mercado doméstico, Portugal.

"O Brasil é um país com boas perspectivas demográficas e econômicas e isso deve apresentar benefícios de suas percepções melhoradas de risco sobre sua economia", apontou Granadeiro.

"A Vivo é um ativo muito atraente porque está exposta ao mercado de telefonia móvel e tira proveito de um grande e interessante potencial de crescimento através de uma forte penetração de mercado e a possibilidade de expansão em migração de linhas de telefone fixo para móvel", explicou o executivo.

A Portugal Telecom fez uma cisão na sua unidade de Internet e cabo, a Zon, no ano passado, com a qual compete agora em Portugal.

"Dada as taxas de crescimento que se espera, as operações estrangeiras tendem a aumentar sua contribuição no grupo Portugal Telecom", afirmou Granadeiro.

A empresa reportou nesta quinta-feira uma queda de 14,4 por cento no lucro líquido em 2007, para 741,9 milhões de euros, devido aos custos de restruturação. Contudo, o números ficaram acima das expectativas.

(Reportagem de Elisabete Tavares)