Brasil negocia com França compra de submarino por US$600 mi

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008 18:53 BRST
 

BRASÍLIA, 28 de janeiro (Reuters) - O governo brasileiro está negociando com a França a compra de um submarino da classe Scorpene avaliado em 600 milhões de dólares como parte de um acordo militar mais amplo, informaram nesta segunda-feira um assessor do Ministério da Defesa e uma reportagem de um jornal.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, cumpre agenda em Paris nesta semana onde se reúne com integrantes do governo francês e com fabricantes de submarinos e de aeronaves. Na terça-feira, deve se encontrar com o presidente Nicolas Sarkozy.

Um porta-voz da pasta da Defesa afirmou que Jobim teve encontro nesta segunda-feira com o presidente da DCNS, a estatal francesa que fabrica o Scorpene, e com o ministro da Defesa francês Herve Morin.

O Brasil busca na França não apenas tecnologia de submarinos, mas também acordos para renovar parte da frota de jatos de combate e de helicópteros, de acordo com o porta-voz.

"A idéia é discutir uma aliança estratégica de defesa com a França, e a parte mais importante é a transferência de tecnologia", disse o assessor. "Jobim não vai assinar nenhum acordo nesta viagem."

O acerto sobre o Scorpene envolveria pagamentos durante 20 anos com taxa de juros de 2,4 por cento ao ano, segundo o jornal Folha de S.Paulo desta segunda-feira, o que faz o preço do submarino chegar a 600 milhões de dólares.

O governo brasileiro está gastando mais de 1 bilhão de reais para terminar um reator nuclear até 2015. Ele equiparia um submarino de fabricação nacional.

O submarino com propulsor diesel-elétrico é desenvolvido pela DCNS, que tem como sócios a Thales (TCFP.PA: Cotações) e a estatal espanhola Navantia.

A Marinha chilena tem dois Scorpene em operação. A Índia encomendou seis e a Malásia, dois, de acordo com o site naval-technology.com especializado em defesa.

(Reportagem de Angus MacSwan e Raymond Colitt)